quinta-feira, 15 de outubro de 2009

rs...
é menos ,

e eu gosto

da tranquilidade das coisas
                      Que busco desenhar em mim
                                                                                                         

                                                                            e das frases soltas
por quê você acha que seja?

mas fico confusa

GENIAAAL!!!

e da falta de propósito de algumas coisas que me lembram: Nascer. Estar por estar. Pessoa. Alberto Caeiro, e Vincent com seu rebanho de nuvens, a tarde nos fundos da casa, esperando até alguém vir te buscar voando - (...) please come flying.", porque você mora em Divinópolis e simplesmente não quer ver outro sol, e não espera que as coisas mudem porque entendestes que o que muda é o olhar e as palavras que dentro dele cabem, no mais tudo são os mesmos, e que viver é implicar com as coisas procurando diferenças.  E nas diferenças sanar toda sorte de sentimento que por acaso não sejam sorteados aleatoriamente enquanto singramos nos espaços do cotidiano, desenvolver interesse também é burlar a natureza existencial de cada célula havida. Há vida. 
Cansei de procurar

por trás das janelas, os prédios cinzas, minha cidade arco, histórias cúmplices, e  coisas que só acontecem na falta de silêncio de madrugadas turbulentas, porque o verdadeiro silêncio fica ao rodapé da alma. 


rs,
é mesmo,


de saudades suas, é
bom
voltar
e ver que pouco ou nada mudou
será sempre assim?

que ainda rio quando rs
e piadas são só ponta dos dedos de ideias
lisas
lidas
tidas
me caem os alfinetes
ets
ê
um bom sofá
onde deitar as cabeças de cerberus
repousante
e nem sonhar
ne

só ficando estar
encarneirar nuvens sem pincel
pontes sem alguém
não ter porquê querer pular

Je sais
irei voltar
porque
porque este é meu estar. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

i Sem PingOS