sexta-feira, 27 de novembro de 2009

eu nem ia escrever de nada hoje, fora algumas ideias toscas jogadas numa folha naquele momento medonho do intervalo, em que mesmo não tendo nada contra a quem me rodeia, simplesmente desejo ser somente eu e dizer coisas que jamais diria a alguém que obviamente está ocupado em coisas 'mais práticas', e vem cá, tem maior praticidade do que 'ei, você acha que fez a coisa certa pra vida, quer dizer acha que faz o que melhor mantém tua vida seguindo naquele certo que tu achou que um dia ela se pareceria?'
Não, não tem, mas apesar da autocrítica e da filosofia serem coisas extremamente aplicáveis e lógicas, elas parecem ter alguma ruptura mágica com a praticidade e simplesmente não parece legal abordar alguém que está fazendo móh esforço pra ser 'útil' com uma pergunta dessas, que se a pessoa levar o desafio a sério, é bem capaz de se deprimir. Então muito 'utilmente' não falei nada, e segui rabiscando, ando fazendo coisas 'do bem' ultimamente, quer dizer, fazendo mais 'coisas do bem', e isso inclui perder diversão, porque sempre é divertido ver alguém não saber responder algo quando há dois minutos atrás parecia tão convicto.rs...
dae que é tarde, tenho que dormir, mesmo que tenha conseguido folga pra essa tarde, tenho que parar com essa mania de dormir metade da noite no sofá, fazer intervalo na escrita e zumbizar até quase de manhã. Sei que o ideal, Seria, mas enfim, se eu pudesse responder aquela perguntinha lá de antes, diria que não é de hoje que sei que não faço as coisas que sei que deveria, e já me deprimi e des-deprimi por isso =)
mas aí acaba o segredinho de aquela pergunta nem é assim tão vital, vital mesmo é o que a gente sente e faz com a resposta que tem em mãos, no final tudo é um jogo de espelhos próprios e de  como nos vemos refletidos e refletindo...
Se é só um espelho, que face do outro vejo e não sou? Fatos? Ah, sim, mas eu ainda me gosto de saber que muito de feio que vejo, não me é, apenas algo exato de bom em mim me faz ser o espelho ideal pra tal reflexo surgir. Dói? Dói, mas até a dor é temporária no motivo e na constância.

Por fim,



S
de saudade
de nome
de sutil
de soul
de soleil
de silêncios
de sul
S


[t'amo, meu bem]

Um comentário:

i Sem PingOS