sábado, 23 de janeiro de 2010

imensa afeição

que me vale este teu mar afec-tivo,
doado, introspectivo
Pergunto-me:
sê pergunto-me, toda vez
que a dor vem aguda
falsa puritana moralista
custa-me o peito em cruz
  ajeitar-lhe casa
trato-te com zelo, carinho, afeto
meu ser predileto
e predileto-ei-de ver-te
sem problemas
pois é nato em mim
se-lo.
selo,
fecho meu sentimento por ti
como quem encerra no mastro uma bandeira..
estou em risco, em alto mar,
mas e daí?
sacudo pelo céu.
estou. nesse momento sou amor.
 pedaço gotejante, cheio de muito, rodando no perplexo A G O R A.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

i Sem PingOS