quinta-feira, 7 de janeiro de 2010




"Tinha ideias romanticas da solidão, e da não solidão também,
 não raramente imaginava de olhos abertos,
 e se deixava levar no seu barquinho de papel,
 navegando sem pressa até o infinito."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

i Sem PingOS