quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010


                                                                                                                                       
Por acaso amor é casaco que você sai correndo pra devolver se a pessoa deixa cair?
NÃO                                            

não posso vestir um casaco em quem não tá com frio.                    
e isso já me doeu víceras  
h oje em dia dói daquela tristeza pálida e meditativa
de olhar antigos cadernos e saber que já amou                     
mas que não tem mais tinta na caneta pra escrever outro caderno.
e se é triste o fim, quem dirá o meio, onde você sonhou que seria feliz
o que é triste mesmo não é a realidade... é a ilusão que a gente cria antes dela.

[post_ despretencioso, inspirado numa conversa com a Giu sobre coisas e afetos, uma canceriana e uma sagitariana falam sobre o que é gostar, sofrer, compreensão, quase todos os dias, queria dizer pra Giu, que admiro muito a capacidade que ela tem pra se magoar, se magoar antes de pensar, antes de entender, porque é nessa capacidade de doer-se, que ela possui, que entro como a sagitariana que mal pára pra sofrer, mas que corre pensando e pensa correndo, Giu me conhece, sabe, que sou só um imenso coração com ideias demais, abraços demais, sentimentos demais, por trás de muita escrita, E outras coisas


vc nao bota fé nas pessoas                
sinal q alguem te magoou                                                                                                                    
me magooaram, nunca neguei
 eu ponho fe em vc por outros motivos
busco dae a amizade e demais afinidades/ofcourse
seria mais facil se as pessoas estivessem abertas pra sentir o time de cada um
paixao nao eh algo q vc força alguem a ter 
                                                                         
pq mta gente legal nao suscita paixao mas suscita algo bom na gente
so q a maioria está ocupada em somente sentir se aquele/a eh seu grande amor
e nao se ocupa com o obvio: sentir o q cada um suscita
 e viver isso no seu tempo e espaço
hj em dia tá raro o amor. o povo vai com muita sede ao pote
sem querer construir. acaba esgotando a paixão
principal combustível do danado.
aí lasca                                                                                   
sou doida pra um monte de coisas
mas nao pra sentimentos
as vzs pareço fria até                                   
esse desespero em ter alguem
 eu acho meio doentio
ainda acredito em alguem pra amar, legal, q uma hora apareça, q seja pra crescer e ajudar
e nao essa mixordia obsessiva
Avá
de ter
Ter
preciso
ter
isso eh inquietaçao de nao querer pensar
eh diferente de pensamento obsessivo
nao sabia q tava pensando em ti em instancia alguma
é, pissa sou uma filha da puta dissimulada mentalmente
talvez eu so precise começar a pensar
pode parecer ilogico
mas nao eh, pensando eu percebo os limites 
por isso eu escrevo
ráh ráh
é melhor, pra pensar
mas atropelar alguém erro fatal, tipo: e aew vc gosta de mim ou nao?
Sabe
uma coisa é brincar com isso
eu que sei de minha complicações coronárias
eu sou mestre em da bróq em coisas ãnssi  
fiquei caminhando pelo quarto, ate caminhei na rua de fones#tocavamassive  , dps fiquei mexendo na estante, abrindo livros, procurando sei la eu o q

desliguei o pc 
liguei de novo
tentei desenhar, me perdia

        Cores PrimÁrias                                                                                                                            
 mas é assim, acho que a gente se perde um tantão de vezes antes de se encontrar de pouquinho em pouquinho, vou juntando, costurando cada pedacinho que encontro, seja nas conversas, sejam nos pensamentos, cafés, chás, cervejas, estradas, chegadas e partidas, seja em meus desejos, vontades e ímpetos que me jogam longe, e longe, longe, fica tão perto.  um aquariano e uma sagitariana conversam, sobre coisas, livros, pessoas, distâncias e afetos.                      
 Como sempre, penso sobre essas conversas, essas semelhanças absurdas, algumas dolorosas, outras divertidas, e há também as fabulosas. É pouco o tempo, uns dias só de conversa, e não é tão mais significativo que em tão poucos dias esteja construindo e reconstruindo tanta coisa minha?                                                             
Queria dizer, honrando tudo que ele me trouxe pra pensar: eu vou tentar ser mais inocente e botar fé, não essa fé de lata, feita de puro raciocínio e proteção por conhecimento, mas essa fé nata com a qual você tem presenteado meus dias. Muito obrigada, Victor, menino árvore, tua inocência foi quem fez nossa amizade. A minha desconfiança, no fundo é só curiosidade, e essa uma vontade borbulhante de ímpetos, ímpeto de ir adiante, e ultrapassar 'Se' e 'talvez'. Fique feliz, não com o que escrevi, ou tirei de nossas conversas, mas fique feliz por seres quem és, você, a Giu, aprendam a admirar o que tratam como falha, ela o magoar-se, tu a 'inocência'. Do lado de cá eu vejo: estrelinhas que cintilam, às vezes poeira chatinha, incomoda, entope a coronária, agioma forma, mas não só, não só, e tão somente, há algo bem mais

T R A N SForMA.



                               

Nenhum comentário:

Postar um comentário

i Sem PingOS