domingo, 18 de julho de 2010




faço desenhos
nunca sei
as vezes as coisas estão mais para o alto
quando percebo que estavam abaixo
junto meus novelos
tem dias que passo só tentando desenrolar meus fios
minhas fibras de faz-de-conta
tenho uma dúvida enorme sobre o lugar das coisas
dentro
fora
entre
atrás
ao lado
de lado
na frente
sobre
sob
é perto demais
é longe pra chegar
é difícil prosseguir 
continuar
rodando coisas bobas entres os dedos
como poeiras coloridas
como perdições perdidas
de tão esquecidas
logo regurgitadas
como palavras trancadas
que me dão o prazer de tombarem sobre detritos
tão logo me canse de ser cansada
da mesma ladainha
até parece que eu não sei
que você sabe
que tudo isso
que eu faço
e fazemos
justa ponto médio mesmo inequívoco fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

i Sem PingOS