quarta-feira, 20 de outubro de 2010

que dera


Quem me dera você soubesse... que sentada aqui, meio longe, meio perto, tenho muito de você. Sim, somos semelhantes, mas não só no sentido de sermos parecidos... Eu tenho muito de você, porque carrego você comigo, trago tuas idéias, tuas brincadeiras, os sentimentos, os medos baixos, os gritos loucos.

São acentos, espaços em direções, nossa língua pouco pontuada, escritas enviessadas, a gente às vezes não tem porque sim ou porque não. Por vezes os sentimentos ficam escondidos ou recatados atrás de brincadeiras e contradições.

Nas expressões criadas a duas mãos, nossa cumplicidade, que mascara a admiração mútua, sim eu sei... Até nos traio um pouco a escrever essas linhas, mas não ligo, hoje podes dizer o que bem desejares, esbravejar ou até mesmo tentar se desfazer aos meus olhos, eu não ligo.

Quem me dera você soubesse, que nesses passes nossos percebo toda uma infinidade tua... Que sei que te esforças entre um corre e outro pra falar um pouquinho, é um "oiee" apressado cheio de carinho, é um "fica bem" todo sem ter o que dizer. Às vezes cansado, outras engolido pelo próprio coração e os desejos confusos do mesmo, afinal os sentimentos não se dizem em idéias claras. A gente vai apalpando em descoberta contínua dos nossos anseios.

És solitário também às vezes... Sinto que nos aproximamos sem nem falar nisso, trazes um barquinho de meias culpas próprias, se olha muito e por isso mesmo se exige, por vezes radicalmente não se aceita... Não sei se isto é efeito do tempo, da nossa convivência, mas dando corda para minha intuição, acho que vai além de intimidade. Sim. Você mudou... Tua aflição mais serena, algo mais seguro, te sinto mais inserido no tempo, um pouco mais só também, até mesmo comigo, e no entanto bem mais teu, em palavras, em colocares teus pensamentos de maneira pontuada e perderes tua dispersão característica.

Sim, te vi mudar, e fico feliz com isso. Sentada aqui meio longe, meio perto. Mas com certeza atenta.

Não posso dizer que mudaria tua vida, ou que esta seria outra se estivesses mais perto... Mas posso dizer que seria o momento de estar segurando sua mão em algum momento mudo, nesses em que a mente devaneia, e nos perdemos pelos laços de idéias e sensações, apenas isto. Nada dizer quando percebemos como a simplicidade de um entendimento fala por si só.


E eu não poderia prometer nada, apenas segurar sua mão em um momento mudo. Quem me dera você soubesse o quanto isso valeria no mar que é tudo o que tenho de você em mim.

Um comentário:

  1. So sei que ao olhar p/ Amarelinho hj senti imensa vontade de estar perto da amarelinha daqui, do chopps de lá!
    nha, nha, nha

    bjos

    ResponderExcluir