terça-feira, 31 de maio de 2011

 O mais curioso é que dentro dessa bolha de instante cabem mil reflexos que não se desvendariam nem em um milhão de anos. Isto é um momento: uma passagem curta sem destino com mais significados do que aqueles apreendidos até hoje.




Eu gosto de bolhas.


                                          

Nenhum comentário:

Postar um comentário