quarta-feira, 10 de outubro de 2012




O que querem de mim?

se nem eu mesma sei o que desejo

além desse silêncio merecido que se alastra
e que enquanto se expande pelas paredes
constrói espaços livres

onde posso sentar na paz de uma corrida
onde posso correr sem ser tolhida

e ficar a sós
com meus pedacinhos todos
saudosos de se encontrar

é tão boa essa saudade matada de si mesmo
e tão genuíno o sorriso de boas vindas
quando vem de dentro do próprio peito

é uma preguiça sem alerta qualquer
um estar por estar
que se traduz
e conduz
em simplesmente ser o que se é
sem nomenclatura
sem idioma
e nem conduta




e o que querem de mim, que queiram logo mais
daqui uns anos e alguns dias

porque hoje e por enquanto
já não posso ser de ninguém
além de minha

Nenhum comentário:

Postar um comentário