domingo, 28 de outubro de 2012







Um dia esqueceu a panela no fogo,
esquentou, ferveu, transbordou, derramou
e por fim aqueceu tanto que evaporou
Um jeito de matar os problemas é com certeza deixá-los viver sem parar.






Fazia todo tipo de comparação,
alimentava com requintes parcos
sua própria discriminação.




Exaltava a atitude honrada de nunca mentir,
esquecia-se porém de que em casa calçava chinelos e coçava a orelha.





Alimentou-se de ideias,
logo sonhava acordado
enquanto flutuava com o auxílio de sua cabeça.
cheia de vento.





Apaziguar-se é
estender as dores no varal
 e deixar o sol e o vento, no seu tempo




Diligente, não fechava os olhos
deixou de ver o mundo
tornou-se opaco
esquecera-se que a beleza habita a flexibilidade


   Sentia-se mal, algumas coisas não iam bem
mas nunca mais lembrara-se daquela imensa concha presa às costas
Que fazia seu ritmo lento parecer tão banal

Nenhum comentário:

Postar um comentário