domingo, 19 de maio de 2013


"você diz que tem muitas coisas para me falar
cuida. peço-te.
não me assuste quando moro no silêncio.
não me assuste pois posso naufragar num mar de palavras, porque mastigo cada escrita não feita, e meus joelhos já não cansam mais de me manter em pé.
eu tenho curvas e curvas de mim mesma para caminhar. tenho os olhos grudados no horizonte, mirando cada desenho de céu que possa finalmente se transformar.
cuida.
manda-me talvez cada palavra dentro de uma nuvem
para que ela tenha o dia todo a passar pelos meus olhos"

Nenhum comentário:

Postar um comentário