segunda-feira, 30 de setembro de 2013

benfazeja

Às vezes não sei o que a vida quer de mim,
que ame, que seja só, intempestiva, festiva, grata, odiosa, 
                                                        
que sofra, que ria, que goze ou gema, que deteste, que teste
que crie ou desista, que faça, cruze as mãos e espere
deseje, que não deseje
que esqueça...                               

Que seja! Que seja!

Vida, vidinha benfazeja, que fazes de mim quase sempre o que deseja
Empresta-me assim teu vigor, tua cor
teus braços longos e dançarinos
e ensina-me por favor mais alguns passos

para que ao menos eu possa improvisar estes teus tão desvairados compassos

Nenhum comentário:

Postar um comentário